*Crónicas de uma Miúda #1

É sabido que a vida é composta por diversas etapas, mas nunca estamos preparados para confrontar a mudança cara-a-cara – eu nunca estou. Há sempre os receios, as dúvidas e o medo. E agora cheguei a mais um final de uma etapa, o licenciamento, e as perguntas que se impõem são sempre as mesmas: ‘e a seguir?’, ‘vais fazer mestrado?’, ‘vais candidatar-te a algum emprego?’. E as pessoas que as questionam esperam sempre uma resposta aceitável de uma miúda de 20 anos, e até há umas semanas atrás a minha resposta seria esta: não faço a menor ideia. Uns dias achava que o mestrado era a melhor opção, outros já não, mas o medo de não conseguir um emprego com apenas a licenciatura falou sempre mais alto. Ver tantos jovens um nada mais velhos do que eu, licenciados, e outros até com mestrado, nas filas do desemprego ou nas filas de embarque assusta-me. Muito mesmo. E depois de muito ponderar decidi continuar na faculdade e fazer o mestrado, para aumentar as minhas hipóteses. Isto aplica-se a todas as fases da vida, até para os alunos que estão a terminar o secundário e se questionam sobre o curso e a faculdade que devem escolher: aconselhem-se muito bem, ponderem ainda melhor e se quiserem façam até uma lista de prós e contras para se certificarem de que aquilo é mesmo o que vocês ambicionam. E lembrem-se, escolham o rumo que vocês querem e não o que os outros ditam.

*As crónicas de uma miúda são um espaço em que retrato opiniões e experiências pessoais, entre outras coisas, e há uma nova crónica todas as sextas-feiras, não percam! E espero que gostem!

CONVERSATION

5 Comentários:

  1. Acaba por ser igual mas de maneira diferente o que se passou comigo. Tenho agora 20 anos e o secundário terminado à dois. Fiz o secundário num curso profissional, o maior arrependimento da minha vida! Apesar de ter sido uma (quase) boa experiência devido ao curso que tirei, arrependo-me de ter ido na conversa daqueles que diziam que um curso profissional tem trabalho garantido! Enganaram-me bem. Não arranjei trabalho nenhum! Decidi então continuar os estudos, dentro da mesma área. Coisa impossível, visto que os exames que me pediam eram disciplinas que nunca tive ao longo dos três anos, mesmo assim tentei e falhei. As perguntas continuam até hoje, "e então, que estás a fazer agora?", "arranjas-te um emprego?", "entraste na faculdade?", o mais difícil não é ter que levar com elas mas dizer simplesmente "não, não arranjei emprego nem sequer entrei para a faculdade, não faço nada", é complicado. No entanto, com 20 anos ainda não desisti de entrar na faculdade, sempre ouvi dizer que mais vale tarde que nunca por isso, escolhi uma área diferente, naquilo que sei que posso ter hipóteses, naquilo que gosto de fazer e naquilo que sempre me disseram que sou capaz. Não voltarei a ir atrás do que dizem os outros mas sim daquilo que realmente quero. Acho que fizeste bem em escolher fazer o mestrado, de certeza que será uma mais valia :)
    Desculpa o testamento, ups.
    millions-of-diamonds.blogspot.com
    GIVEAWAY a decorrer no blog, participa aqui!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu quando estava a escolher o curso também senti uma certa pressão de ir para determinados cursos, mas depois acabei por entrar num que nem sequer era a minha primeira opção, daqueles cursos que era só para preencher a lista, e fiquei para ver como era e gostei tanto que nunca quis sair. Acho mesmo que deves continuar a tentar entrar para a faculdade se é mesmo aquilo que queres! Não desistas querida! :)

      Eliminar
  2. Penso que esta crónima vai ser muito útil para muitos de nós. :)
    Parabéns pela iniciativa. :)

    Andreia
    http://pontofinalparagrafos.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada querida! Espero mesmo que gostes! :)

      Eliminar
  3. https://www.youtube.com/watch?v=bF1dgntTPUI

    ResponderEliminar

Back
to top